Bruno Gagliasso exige elenco composto por pessoas pretas – Lully FM – Entertainment

Bruno Gagliasso exige elenco composto por pessoas pretas

Em entrevista a revista Veja, Bruno Gagliasso expressa sua profunda adesão às causas anti racistas e diz ser rigoroso quanto a escolha dos papéis ao qual interpreta em um filme ou série, juntamente com o elenco que o compõe.

O ator começou recentemente uma inusitada carreira internacional, nas mesmas palavras de Bruno ele deixa a entender que nem mesmo queria isso “Isso não é algo com que eu sonhava. Sempre fui atrás de bons papéis, não de uma carreira no exterior”, porém, como a oportunidade de fazer um papel mais ‘brasileiro’ em uma série norte americana surgiu o ator se empolgou “O que me moveu foi fazer um personagem brasileiro que está em Madri, mas não precisa falar inglês ou espanhol. Esse momento no streaming é rico porque hoje você pode fazer uma série internacional sem sair do seu país”.

Quando perguntado sobre a volta às telas depois de ter feito ‘Marighella‘, filme dirigito por Wagner Moura, onde Gagliasso interpreta o delegado Lúcio um agente do Departamento de Ordem Política e Social de São Paulo (Dops) durante a Ditadura Militar no Brasil, o ator responde: “Tenho orgulho de estar em projetos que falam sobre a história do nosso país. Uma história que tentam apagar, mas não vão conseguir.”

Em Marighella Bruno era Lúcio, em “Santo” (Nova série espanhola da Netflix) Bruno é Ernesto Cardona, por um lado um delegado fascista e convicto de seus ideais totalitários, racistas e misóginos, por outro um policial federal brasileiro que entra para o setor de narcóticos. Porém, o ator deixa claro o seu modo de fazer cinema “[…] Exijo que haja pessoas pretas no projeto. Eu já ouvi falarem: “Pô, se chamar o Bruno é complicado, porque ele vai exigir que tenha gente preta”. E é isso. Eu exijo mesmo”.

Se, em ‘Marighella’, Gagliasso interpreta um personagem que vai contra seus ideais para fazer analogias sobre quem está errado na história, como afirma “Busco fazer vilões quando os heróis são negros. Faço questão de me colocar nesse lugar, porque nós, brancos, não somos os heróis — somos os vilões que cometeram os crimes da história.”, também em ‘Santo’ não deixa de lado sua posição política, exigindo que o elenco seja composto também por pessoas negras.

Fonte Mixturando