Lore Improta conta como tem se preparado para desfilar na Viradouro – Lully FM – Entertainment

Lore Improta conta como tem se preparado para desfilar na Viradouro

Lore Improta está mais do que preparada para o Carnaval Carioca 2023, a musa da Viradouro diz estar tendo um aprendizado de vida, ao conhecer e refletir sobre o enredo da agremiação de Niterói.

O enredo da Viradouro, mostra a história de Rosa Maria Egipcíaca, nascida na África, e que chegou aos 6 anos de idade ao Rio de Janeiro. Foi escravizada, foi de meretriz a santa, e é apontada como a primeira negra a escrever um livro no Brasil, onde viveu no século XVIII.

“Com as minhas aulas de letramento racial, busquei me cercar de conteúdos que eu pudesse absorver tudo e passar à Liz [sua filha, do casamento com Léo Santana], trazendo-a e aproximando-a de um ambiente onde ela encontrasse identificação. Tem sido um trabalho de muito aprendizado e, com isso, conheci a história de Rosa Maria, que é muito emocionante. Ela foi uma mulher forte, guerreira, que passou por muitas coisas, e me encanta fazer parte desse momento tão especial para a escola e para a cultura”, afirma a musa.

Lore recentemente fez uma cirurgia de reparação nos pés, mas vem se preparando muito para cruzar a Marquês durante o maior espetáculo da terra. A dançarina fez um bloqueio via infiltração guiada por ultrassom, para eliminar as dores oriundas dos Neuromas de Morton. Também foi colocado um medicamento que normalmente segura as dores por dois meses. Por conta disso, o procedimento deve ser feito nesse intervalo de tempo.

“Fiquei um mês parada, sem poder dançar, com dor. Quando fiz a cirurgia, achei que ficaria 15 dias sem poder dançar e acabei ficando quase quatro meses. Então, me dava muito medo de não me recuperar 100% antes do Carnaval. Ainda não estou totalmente recuperada porque é um procedimento que precisa de cuidados, acompanhamento e tratamento. Vou fazendo a cada dois ou três meses para ir entendendo como o neuroma reage”, conta.

Lore foi e é musa da música baiana, no entanto, sabe da responsabilidade que tem perante os mais jovens, ao mostrar o estilo e um aplicativo de vídeo.

“Acho que é tudo uma soma. O público deve conhecer um pouco do axé dos anos 2000, mas é algo que também pode não fazer parte da realidade deles. E a gente termina se enquadrando nessa nova realidade, mas nunca se esquecendo dos anos 2000, vamos dizer assim. Então, eu sinto que deve ser tudo novo para o publico mais jovem. Observar como a gente dançava, como era ‘antigamente’ [risos]. Eu sempre trago também tudo o que eu aprendi, com todas as minhas experiências, no momento de criar minhas minhas coreografias, de colocá-las no Youtube, acho que é uma junção do passado com o presente, e assim conseguimos coreografias incríveis”, avalia.

Lore e Léo Santana tem se divido para cumprir os compromissos profissionais e os cuidados com a pequena Liz, de apenas um aninho.

“Normalmente, nosso Carnaval é praticamente Salvador. Léo viaja para fora alguns dias, eu viajo para o Rio, mas basicamente é em Salvador. Então, vamos para a folia e voltamos pra casa. Devemos encontrá-la todos os dias. Temos uma rede de apoio maravilhosa, que nos ajuda a tomar conta dela, que são a mãe e as irmãs do Léo e meus pais”, detalha.

Fonte Revista Quem

Deixe um comentário