Cataratas do Iguaçu atingem nível de vazão de água recorde

Esta semana, as Cataratas do Iguaçu registraram uma quantidade monumental de água: a vazão chegou a 24 milhões de litros por segundo – um volume histórico.

Nossa reportagem foi até lá ver quais são as medidas adotadas para garantir a segurança dos turistas e dos funcionários. As visitações ao Parque Nacional do Iguaçu não foram suspensas.

A vazão considerada normal nas Cataratas do Iguaçu é de 1,5 milhão de litros de água por segundo. Agora, por causa do nível muito acima do comum, a passarela principal do passeio às Cataratas foi interditada.

Além disso, algumas grades foram retiradas antes de a água subir muito por medida de segurança.

“As grades, elas representam um anteparo, uma resistência. Tanto para água quanto para galhos, troncos que venham a descer e bater ali. Para evitar a sobrecarga na estrutura da passarela, a gente retira as grades para que a água flua de uma forma mais natural”, diz Marcelo Skaf, diretor técnico Urbia Cataratas.

Nem os funcionários do parque podem pisar na passarela enquanto a vazão não estiver abaixo de 9 milhões de litros por segundo. Para liberar o acesso, também é necessária uma vistoria atestando que a movimentação da água não causou nenhum dano à estrutura.

No lado argentino das Cataratas, a correnteza arrancou uma passarela. O trecho já estava fechado e ninguém se feriu.

Por causa das chuvas intensas, o nível do Rio Iguaçu começou a subir na semana passada. São 1.300 quilômetros desde a nascente, em Curitiba, até a foz, do outro lado do estado.

Antes de chegar às Cataratas, a água fez estragos. O rio transbordou em quase 60 cidades. De acordo com a Defesa Civil, a cheia do maior rio paranaense afetou cerca de 35 mil pessoas.

Deixe um comentário