Metallica ‘foi impulsionada por masculinidade tóxica’, diz Kirk Hammett – Lully FM – Entertainment

Metallica ‘foi impulsionada por masculinidade tóxica’, diz Kirk Hammett

Icônico guitarrista do Metallica, Kirk Hammett opinou como a banda liderada por James Hetfield “foi impulsionada por masculinidade tóxica”. O músico falou sobre a jornada dele na música durante entrevista ao The New Yorker, o qual fez um grande perfil sobre Hammett.

“Ainda estou sentado dizendo: ‘Beleza, vou escrever um riff muito, muito difícil e f***.’ Basta olhar para a minha retórica lá: riff duro e f***. É uma agressão que todo mundo sente, mas foi intensificada em nós – essa coisa estranha de machismo masculino”, afirmou.

O guitarrista, quem entrou no Metallica em 19836, explicou à publicação como James Hetfield às vezes antagonizava o público nos primeiros shows da banda: “Ei, sempre que isso fica pesado demais para você… me*** difícil”.

Além disso, Kirk Hammett relembrou alguns bastidores do grupo: “Nós ficávamos bêbados e apenas começávamos. Lembro uma vez na qual James se levantou e empurrou Lars [Ulrich, baterista], e Lars literalmente voou pela sala”.

“Nós nos víamos e começávamos a lutar. Poderíamos estar em uma sala com vinte pessoas e ficarmos obcecados um pelo outro. Ninguém mais importava”.

Por que Metallica deixou Stranger Things usar ‘Master of Puppets’? Lars Ulrich responde

Um dos grandes marcos da cultura pop em 2022 foi o uso de “Master of Puppets,” hit do Metallica, na quarta temporada de Stranger Things, uma das principais séries da Netflix. Agora, o baterista Lars Ulrich explicou o motivo da icônica banda permitir o uso da música no seriado do streaming.

Durante entrevista ao The Howard Stern Show, o músico explicou como a banda mudou a própria política de licenciamento das canções para outros projetos apenas nos últimos anos. “Costumava ser, com o Metallica, sempre éramos os caras do ‘não,’” afirmou. “‘Ei, podemos ter essa música para isso? Podemos ter essa música para aquilo?’ Era apenas não, não, não, não, não.”

“E, alguns anos atrás, nós meio que revertemos isso. Fizemos um 180. Nós apenas dissemos: ‘Sabe de uma coisa? Isso é estúpido. Por que estamos nos agarrando a essas músicas como se fossem tão importantes, como se fossem as joias da coroa?’ Vamos compartilhar nossa música com o mundo,” continuou Ulrich. “Então, alguns anos atrás, começamos a dizer sim para tudo.”

Além disso, o baterista relembrou como a equipe de produção de Stranger Things “queria construir toda essa cena em torno de ‘Master of Puppets’” – e a banda concordou com o plano. “Foi tão f*** ver como isso se tornou um fenômeno, e ficamos muito orgulhosos”.

“Quero dizer, quem teria pensado 40 anos depois que essas músicas ainda poderiam ter esse impacto? Então, estávamos empolgados para fazer parte disso, com certeza. Foi tão inesperado”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *