Campanha contra o câncer de pele – Lully FM – Entertainment

Campanha contra o câncer de pele

Tradição de mais de 35 anos, a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) realizará em 2022 mais uma edição de sua Campanha Nacional de Prevenção ao Câncer de Pele. Pelo 12° ano com o slogan do Dezembro Laranja, a campanha volta a ser presencial após dois anos no modelo remoto.

Este ano, o foco da ação são os trabalhadores que operam sob alta exposição aos raios solares. Dessa maneira, são propostas atividades nas quais a população pode receber, de forma gratuita, orientações de dermatologistas acerca de como se proteger dessa doença diariamente. Haverá ainda exame clínico gratuito, aberto à população, com os dermatologistas da SBD.

A ação acontecerá no dia 03/12, primeiro sábado de dezembro, das 8h às 13h, em seis postos, sendo três em Salvador e três no interior do estado:

SALVADOR 

– Hospital Aristides Maltez

– CICAN

– Hospital Santa Izabel

INTERIOR 

– Alagoinhas

– Vitória Da Conquista

– Jequié – Serviço Usb Almerinda Lomanto

Existem três tipos de câncer de pele:

– O carcinoma basocelular (CBC), tipo mais prevalente, mas de baixa letalidade. Os CBCs surgem mais frequentemente em regiões expostas ao sol, como face, orelhas, pescoço, couro cabeludo, ombros e costas.

– O carcinoma espinocelular (CEC), segundo mais frequente, pode se desenvolver em todas as partes do corpo, embora seja mais comum nas áreas expostas ao sol, como orelhas, rosto, couro cabeludo, pescoço etc. O CEC é duas vezes mais frequente em homens do que em mulheres.

– O melanoma, menos prevalente entre os três, é também o mais letal entre os três. Entretanto, quando há o diagnóstico precoce, as chances de cura são mais de 90%. Essas lesões podem surgir em áreas difíceis de serem visualizadas pelo paciente, embora sejam mais comuns nas pernas, em mulheres; nos troncos, nos homens; e pescoço e rosto em ambos os sexos.

Entre os sintomas, estão manchas e verrugas, que podem se assemelhar a pintas ou lesões benignas. Por isso, é importante procurar um médico ao perceber sinais diferentes na pele. A SBD recomenda atenção a lesões na pele de aparência elevada e brilhante, translúcida, avermelhada, castanha, rósea ou multicolorida, com crosta central e que sangra facilmente; pintas pretas ou castanhas que mudam sua cor, textura, tornam-se irregulares nas bordas e crescem de tamanho; e manchas ou feridas que não cicatrizam, que continuam a crescer apresentando coceira, crostas, erosões ou sangramento.

Pessoas de pele mais clara, incapacidade de se bronzear e que possuem algum tipo de doença de pele, como vitiligo e albinismo, são mais suscetíveis ao câncer de pele, devido à maior sensibilidade ao sol. Entretanto, qualquer pessoa pode desenvolver a doença, sobretudo com a incidência crescente dos raios ultravioleta no planeta, e todos devem manter a fotoproteção, principalmente o uso de protetor solar, como uma prática constante.

Para quem trabalha em condição de alta exposição solar, é imprescindível que os cuidados com a pele estejam presentes no dia-a-dia, uma vez que isso torna essas pessoas ainda mais sensíveis a tumores cutâneos. De acordo com o Estadão, o risco de câncer de pele é duas vezes maior em trabalhadores ao ar livre, que, somado ao sol constante durante o expediente, têm baixa tendência à proteção solar.

No entanto, de modo geral, o cuidado deve ser tomado mesmo entre aqueles que não tomam sol. Na Bahia, por exemplo, o individuo já é considerado muito exposto, pela alta taxa UV natural, durante o dia a dia, seja na varanda, no quintal, janelas, deslocamentos para o trabalho, escola, etc.

O diagnóstico da doença deve ser feito a partir de consultas com dermatologistas o mais precocemente possível, para que a intervenção possa começar de forma imediata. A maioria dos tratamentos consiste em cirurgias simples, além de radioterapia, quimioterapia, imunoterapia e as medicações orais e tópicas, que são outras opções de tratamentos para os carcinomas. O tipo mais adequado de terapia será estabelecido pelo profissional responsável.

Assessoria de Comunicação- SBD- Regional Bahia  

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *