TSE atende Lula e abre ação contra Bolsonaro e Jovem Pan – Lully FM – Entertainment

TSE atende Lula e abre ação contra Bolsonaro e Jovem Pan

O ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Benedito Gonçalves atendeu neste sábado (15) a um pedido da campanha de Luiz Inácio Lula da Silva e abriu uma ação para investigar o presidente Jair Bolsonaro e seu vice, Braga Netto, a Jovem Pan e o presidente da emissora, Antônio Augusto Amaral de Carvalho Filho, por suposta prática de uso indevido dos meios de comunicação.

O PT acusa a Jovem Pan de ter se tornando “o braço mais estridente do bolsonarismo”, com a difusão de ataques e fake news contra o sistema eleitoral, o Supremo e o TSE, além da promoção de uma “campanha difamatória” conta Lula em seus diversos programas transmitidos em rádio, televisão e no YouTube.

Para o partido de Lula, a Jovem Pan é parcial e confere tratamento privilegiado a Jair Bolsonaro, que “vem irrigando os cofres da emissora com verbas públicas por meio de publicidade”, em montante que alcançou, em 2021, o triplo dos valores recebidos no último ano do governo anterior, de Michel Temer.

No despacho em que atendeu ao pedido do PT, o ministro Benedito Gonçalves disse que “é possível constatar da leitura dos trechos e do acesso aos vídeos que, em um efeito cíclico, os comentaristas da Jovem Pan não apenas persistem na divulgação de afirmações falsas sobre fatos (coisa que difere da legítima opinião que possam ter sobre a realidade), como somente se mostram capazes de ‘explicar’ as decisões a partir de novas e fantasiosas especulações, trazidas sem qualquer prova, de que haveria uma atuação judicial favorável um dos candidatos”.

Em sua ação, o partido ainda critica a Jovem Pan por atacar a conduta de ministros do STF e do TSE, acusados de não serem imparciais por comentaristas da emissora, além de repetir informações falsas sobre as urnas eletrônicas, como a acusação de que o sistema não é auditável.

Apesar de ter aberto a ação para investigar a emissora e a chapa Bolsonaro-Braga Netto, o ministro negou um pedido da campanha de Lula para obrigar que o dono do grupo Jovem Pan conceda tratamento isonômico aos candidatos ao Palácio do Planalto, deixando de reproduzir conteúdos e notícias inverídicos e descontextualizados sobre Lula e o processo eleitoral.

Para Benedito Gonçalves, exigir uma cobertura equilibrada da Jovem Pan é reforçar um dever que já “recai sobre todas as emissoras e que está previsto em regra”.

Procurada pela equipe da coluna, a Jovem Pan informou que “não recebeu nenhuma notificação judicial até o presente momento e que, se houver, a questão será tratada pelo jurídico da emissora no momento oportuno”.

Fonte O Globo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *