Rock in Rio 2024: Por que é importante ter ativações de marca na cidade do rock?

A contagem regressiva começou para o Rock in Rio, o maior festival de música e entretenimento do Brasil. Comemorando seus 40 anos, o evento promete mais de 100 atrações, incluindo Akon, Katy Perry, Travis Scott, Avenged Sevenfold e Ed Sheeran. Marcado para o mês de setembro, faltam menos de 100 dias para o início dos shows e a expectativa do público é alta.

Como de costume, o festival contará com ativações de marcas renomadas, a exemplo de: Heineken, C&A, Natura, Coca-Cola, dentre outros que enriquecem a experiência do público. Na edição anterior, essas parcerias ajudaram a movimentar mais de R$2 bilhões, segundo a própria organização do festival. Mas será que o Rock in Rio manteria o mesmo brilho sem essas ativações de marca? Podemos dizer que, a integração de estratégias de marketing no evento fortalece a conexão entre marcas e espectadores, tornando a experiência do festival ainda melhor.

Para a coordenadora de marketing da Alive Brand, Bruna Alves, sem as ativações promovidas por essas e outras marcas, grandes festivais como o Rock In Rio, The Town, LollaPalooza, certamente perderiam parte do seu “charme”. Hoje, as ativações são responsáveis por proporcionar momentos de descanso, interação e entretenimento que complementam a exaustiva maratona musical.

Na edição de 2022, a TIM esteve presente com ativações de marcas que a colocaram como a segunda mais comentada nas redes sociais durante o festival, atraindo mais de 20 mil pessoas ao seu espaço. O objetivo era conectar ainda mais o público aproveitando as evoluções tecnológicas possibilitadas pela consolidação do 5G, como a realidade aumentada.

Já o Itaú Unibanco, patrocinador máster da edição – este ano presente pela 7 vez – uniu forças com o Tik Tok para promover artistas. Os talentos que se destacam na plataforma, tiveram a chance de se apresentar na Arena Itaú durante os intervalos dos shows do palco Mundo e Sunset. Os fãs puderam votar no perfil oficial do banco no TikTok para selecionar as músicas do repertório dos artistas.

Para as marcas, o festival é uma oportunidade para criar vínculos com o público, além da publicidade tradicional – um outdoor, por exemplo. A especialista comenta: “Quando investimos nas experiências em festivais desse porte, conseguimos estabelecer, até mesmo, vínculo direto com os consumidores. Esses momentos não são apenas sobre promoção da marca, mas também criar interações que fazem ela se destacar de maneira positiva, fortalecendo a relação com os consumidores’’, completa.

A ausência dessas ativações poderia resultar em um festival mais simples, sem os confortos e inovações que os frequentadores esperam e amam. Mais do que patrocinadores e investimento de milhões, as marcas trazem uma experiência completa, e com isso, automaticamente, aumenta seu público e seus lucros. No entanto, para tornar isso uma realidade, é fundamental que tenha planejamento e organização eficiente. Confira abaixo 4 dicas:

  • Conheça seu público-alvo
  • Demografia: Idade, gênero, localização e renda;
  • Comportamento: Hábito de consumo e preferências;
  • Interesses: O que seu público gosta de fazer no tempo livre? Quais são seus hobbies? ferramentas como o Google Analytics e pesquisas de mercado podem auxiliar.
  • Utilize múltiplos canais de comunicação
  • Redes sociais: Instagram, Facebook, TikTok são ótimas plataformas para gerar buzz;
  • E-mail marketing: Personalização de mensagem para diferentes segmentos do seu público;
  • Marketing de influência: Colaboração com diferentes influenciadores que compartilham os valores da marca.
  • Engaje seu público com atividades interativas
  • Gincanas e concursos: Incentive a participação ativa dos usuários;
  • Experiências VR e AR: Ofereça algo novo e imersivo.
  • Avalie e otimize
  • Kpis: Faça mediação de resultados, como: taxa de engajamento, alcance da campanha, feedback dos participantes etc;
  • Feedback Qualitativo: Coleta de opiniões diretamente do público;
    A/B Testing: Teste diferentes abordagens e veja o que funciona melhor.

“Além dos shows, há uma gama de atividades como dança, games, experiências imersivas e muito mais, todas oferecidas através das ativações de marcas. Isso torna o evento acessível e atrativo para todos, independentemente de seus gostos musicais. A diversidade de opções permite que os participantes explorem o evento e encontrem algo que lhe interesse”, finaliza.

Marianne Florindo

Deixe um comentário

Close