Sabrina Carpenter defende clipe provocativo em igreja

Sabrina Carpenter, que abriu os shows de Taylor Swift no Brasil, se defendeu das críticas por ter gravado o clipe Feather, considerado provocativo, dentro da Igreja da Anunciação da Bem-Aventurada Virgem Maria, em Nova York. Em entrevista à revista Variety, ela explicou que teve permissão para filmar dentro do local no Brooklyn, e fez uma analogia para dizer que tinha autorização ainda “maior”.

“Jesus era um carpinteiro [como eu]”, alegou Sabrina, cujo sobrenome, Carpenter, significa carpinteiro em inglês. “Conseguimos aprovação antecipada”, disse ela. Feather mostra a cantora dançando entre os bancos da igreja do século 19 de Williamsburg, de vestido e véu de tule preto. Nas imagens, ela ainda mata homens que forma inadequados com ela, com vaias ou tirando uma foto sem autorização de sua saia.

A Diocese do Brooklyn, na qual a igreja se inclui, compartilhou uma declaração com a Agência Católica de Notícias, afirmando que o bispo Robert Brennan estava ” chocado com o que foi filmado na Igreja da Anunciação da Bem-Aventurada Virgem Maria, no Brooklyn”. “A paróquia não seguiu a política diocesana em relação às filmagens nas propriedades da Igreja, o que inclui uma revisão das cenas e do roteiro”, afirmava o texto.

Confira:

Fonte Revista Quem

Deixe um comentário

Close