Ela largou a enfermagem, virou designer de unhas e já faturou mais de R$ 10 milhões

Grazielle Matos queria alongar suas unhas com acrigel, rodou toda sua cidade em busca de alguma profissional que fizesse o serviço e não encontrou. Foi esse desejo que a aproximou da área de designer de unhas – conhecida como nail designer -, a levando a começar um curso para aprender a fazer as próprias unhas. Isso foi há cerca de 10 anos. Agora, tendo largado a carreira na enfermagem para se especializar no ramo da beleza, ela já faturou mais de R$ 10 milhões, tem milhares de seguidores e criou uma linha de produtos próprios.

Aos 18 anos, Grazielle trabalhava em uma loja do setor de construção civil que seu esposo, até então seu namorado, montou. Na época, ela começou um curso de técnico de enfermagem, como uma aposta caso as coisas com a loja dessem errado. E foi ao mesmo tempo que, por ter as unhas muito quebradiças, decidiu começar um curso básico de designer de unhas para conseguir cuidar das próprias mãos com as técnicas de alongamento que via pela internet e queria experimentar.

Mas, tudo mudou. A empresa de construção ‘quebrou’ cerca de quatro anos depois e Grazielle também não deu sequência no ramo da enfermagem, deixando o curso quando faltavam semanas para concluir. “Eu comecei a trazer muita coisa do que vivia no estágio no hospital para casa, achava que estava doente. Vi que não ia conseguir seguir essa profissão”, conta.

O que vingou, surpreendendo a todos, foi a área do alongamento de unhas. No começo, quando decidiu se dedicar a essa profissão, ela não teve muito apoio: “Quando falei para o meu esposo que queria fazer o curso ele disse ‘Você tá doida? Vai gastar dinheiro com curso, com produto, para fazer a própria unha?’”. Mas, ela saiu de Volta Redonda, sua cidade, e foi para a capital do Rio de Janeiro para o curso. Na experiência, por mais que o aprendizado tenha sido superficial, como conta, se apaixonou.

No começo, ela não via o ofício como uma profissão, mas achava relaxante fazer os procedimentos por ser algo manual. Então, ela seguiu fazendo sua própria unha, depois começou a fazer de algumas pessoas da família e, quando a empresa de construção civil fechou, usou o espaço da loja para ter suas primeiras clientes pagas.

Perrengues

A primeira estratégia de Grazielle foi anunciar seus serviços em um site de cupons de descontos. Ainda com poucos atendimentos e sem experiência, acabou vendendo cerca de 70 cupons. As clientes vieram e os problemas também. “Foi unha caindo, cliente pedindo dinheiro de volta, fungo… Devolvi praticamente 80% do dinheiro que recebi”, lembra.

A situação foi extrema, mas fez com que Grazielle decidisse investir mais em sua especialização. Mesmo assim, apesar dos cursos que fazia, sentia que o problema era ela e se frustrava. Mas, como avalia, o problema era que ninguém contava ‘o pulo do gato’, por ainda ser uma área recente.

“No começo da minha carreira eu gastei quase R$ 30 mil. Eram cursos, viagens e eu continuava com um problema imenso de descolamento, infiltração e fungo na unha. E a cada novo curso que eu fazia, não aprendia a resolver esses problemas”, conta. Foi então que ela entendeu que teria que descobrir esses caminhos sozinha, com muito treino.
Avanços

Descobrindo seu próprio método, Grazielle começou a ficar conhecida em sua região e a divulgar seus trabalhos nas redes sociais. Ela conta que tinha o trabalho de responder todas as mensagens que recebia, uma a uma. Depois surgiu a ideia de criar um canal no YouTube para compartilhar esses conhecimentos. “Passei a ensinar tudo que eu tinha dificuldade no início”, diz.

A partir disso, seguindo nessa linha, começou a ministrar cursos e passou a viajar para diversos estados levando seu conhecimento. A agenda a fez deixar de atender clientes como nail designer, mas, ainda hoje, nunca parou de fazer suas próprias unhas e treinar as técnicas em modelos.

Faturamento

Pouco antes da pandemia, Grazielle lançou um curso digital completo sobre alongamento no valor de R$ 997 – contra outras opções do mercado que estavam na faixa de R$ 100. Segundo ela, faturou R$ 1,3 milhão em três dias. Com a pandemia, os cursos seguiram sendo fonte de renda e, religiosamente, ela aparecia em lives diárias em suas redes sociais.

A empresária explica que com seus cursos e consultorias tem como meta ajudar suas alunas a faturarem R$ 7 mil por mês em 30 dias. “O mercado cresceu demais. As clientes estão mais exigentes e as profissionais também precisam estar qualificadas”, acredita.

Agora Grazielle investiu em uma linha de produtos para profissionais de designer de unhas e, no futuro, pretende expandir com itens direcionados ao consumidor final. Atualmente sua empresa fatura R$ 500 mil por mês.

Fonte Terra

Deixe um comentário

Close