Halle Bailey fala sobre ataques racistas após ser anunciada como Ariel em “A Pequena Sereia”

Halle Bailey fala sobre ataques racistas após ser anunciada como Ariel em “A Pequena Sereia”

13 de setembro de 2022 0 Por admin

Halle Bailey, do duo Chloe & Halle, deu uma entrevista para a revista “Variety” onde falou sobre o seu papel como Ariel, no live-action de “A Pequena Sereia”. A cantora contou que foi vítima de ataques racistas desde que seu nome foi anunciado para o papel principal do clássico da Disney.

Apesar dos atos covardes que sofreu, Halle mostrou muita maturidade ao falar sobre o sentimento para enfrentar isso. “Quero que a garotinha em mim e as garotinhas como eu que estão assistindo saibam que são especiais e que devem ser princesas em todos os sentidos. Não há nenhuma razão que eles não deveriam ser. Essa garantia era algo que eu precisava”.

Halle Bailey se tornou apenas a segunda protagonista negra na história dos filmes do estúdio Disney. Antes dela, Anika Noni Rose dublou a personagem Tiana em “A Princesa e o Sapo”, animação de 2009.

Sua irmã, Chloe, lembra que toda família deu apoio a atriz naquele momento. “É importante ter um forte sistema de apoio ao seu redor. É difícil carregar o peso do mundo sozinho”.

Outro apoio recebido por Halle veio de seus avós, que a fizeram olhar para a situação de uma nova maneira, relembrando suas experiência, quando foram vítima de racismo. “Foi uma coisa inspiradora e bonita ouvir as palavras de encorajamento, me dizendo: ‘Você não entende o que isso está fazendo por nós, por nossa comunidade, por todas as meninas negras e pardas que vão se ver em você?”.

E para completar a importância da família neste trabalho, Halle conta que a relação com o seu pai serviu de inspiração para desenvolver sua personagem. “Eu sempre falava sobre como meu pai é como um reflexo do Rei Tritão; ele sempre foi super protetor com minha irmã e eu. Essa é uma das coisas que amamos nele – o jeito que ele ama. Quando tive cenas com Javier (Bardem), tirei da minha experiência com meu próprio pai: quão profundo é esse amor e quão fortes e protetores são eles”.

Fonte Vagalume