Iza quebra tudo no Palco Mundo do Rock in Rio

Iza quebra tudo no Palco Mundo do Rock in Rio

4 de setembro de 2022 0 Por admin

Quando Iza cantou no Palco Sunset em 2019, com Alcione, ficou claro que ela precisava de um palco maior. Três anos depois, ela chegou lá, mas poderia ter feito mais neste domingo (4).

A cantora carioca foi a segunda a se apresentar no Palco Mundo, depois de Jota Quest, com uma superprodução. Demi Lovato e Justin Bieber ainda cantam no dia mais pop do primeiro final de semana.

O show começou, sob uma leve chuva, com os maiores hits da carreira que começou em 2017: “Pesadão”, “Gueto” e “Ginga”.

Mais de dez bailarinos, figurinos bem trabalhados e coreografias contribuíram para o impacto inicial de uma apresentação linear, que beirou o monótono. O palco e a produção lembraram Beyoncé no Coachella de 2018.

A banda é um destaque à parte, com um coral de seis backing vocais e instrumentos de sopro, que leva as músicas de Iza para um caminho mais R&B muito interessante durante todo o show.

Iza começou a cantar “Meu Talismã” a capella, um dos pontos mais fortes e bonitos, mas que também não é novidade nos shows da cantora.

“Alguém aqui me assistiu em 2019? Olha nós aí, Rock in Rio”, afirmou ela na primeira interação com o público.

“Esse é um final de semana de celebração, porque a gente sobreviveu, a gente está tirando onda”, continuou.

No telão, fotos de artistas negros como Seu Jorge, Dona Ivone Lara, Paulinho da Viola e Martinho da Vida foram projetadas antes de “Gueto”. O tom de homenagem se repetiu mais uma vez nesta noite.

Uma das maiores questões que Iza tinha para resolver nesse show era repertório.

Semanas antes, nas redes sociais, era comum ver pessoas sem acreditar que a cantora ia subir no Palco Mundo com os mesmos hits de sempre.

Ela resolveu essa questão bem parcialmente ao lançar há dois dias o EP “Três”, com três músicas, todas incluídas no repertório. Obviamente, a parte mais fraca do show de 1 hora.

Por outro lado, “Fé”, música também nova, mas lançada há um tempo razoável para as pessoas saberem cantar e, de fato, superior às do EP, ajudou a recuperar a energia.

Na reta final, Iza celebrou a trajetória de mulheres negras e cantou “No Woman No Cry”, acompanhada pela mãe ao piano em um belo momento.

Ela termina o show coroada como rainha pela mãe e fecha apresentação com “Dona de Mim” e “Brisa”.

Fonte g1

Foto: Marcelo Sá Barretto/Ag. News