Sócios aprovam e Vasco vende 70% da SAF para 777 Partners

Sócios aprovam e Vasco vende 70% da SAF para 777 Partners

7 de agosto de 2022 0 Por admin

Os sócios do Vasco aprovaram em Assembleia Geral, neste domingo, a venda de 70% da SAF para a 777 Partners. Foram 3.898 votos para aprovar e 976 votos contrários. No fim, o clube abriu a sede do Calabouço para os torcedores entrarem e festejarem o resultado.

Veja os números da votação:
  • 6.385 sócios aptos a votar
  • 4.907 sócios votaram
  • 1.478 ausentes
  • 3.898 (79,44%) votaram sim
  • 976 (19,89%) votaram não
  • 18 votos nulo (0,37%)
  • 15 votos branco (0,31%)

– Torcedor compareceu em massa aqui. Votação expressiva. Entenderam a nossa proposta, abraçaram nossa causa. Começamos uma parceria fortíssima no futebol – disse Jorge Salgado, presidente do Vasco.

– Vai resolver grande parte dos nossos problemas. Sabem dos problemas financeiros e isso está equacionado com o acordo. Injeção de capital de R$ 700 milhões, reforçar futebol e pagar dívida. Transferir a dívida para 777. Acordo excepcional – prosseguiu Salgado.

O presidente do Vasco aproveitou para pedir desculpas ao torcedor pelos anos difíceis. Disse que, neste domingo, o futuro do clube começa a ser desenhado.

– Estamos em dívida com a torcida, muitos anos sem ganhar nada, coleciona dívida. Sou empresário, sei o que é isso. Se não controla uma dívida, com juros… Vasco não tem crédito. Quando você mostra o balanço, todo mundo foge. A partir de agora, vai passar a ter novamente credibilidade. Estamos construindo hoje o futuro do Vasco.

Josh Wander, sócio-gerente e co-fundador da 777 Partners, divulgou nota festejando o resultado. Ele não esteve no Rio de Janeiro para acompanhar o rito.

– Este domingo, 7 de agosto de 2022, marca uma das datas mais importantes da história tanto do Vasco quanto da nossa empresa. Agradecemos a cada parceiro, conselheiro, diretor e a cada vascaíno que acreditou no nosso projeto e sempre nos apoiou. Trabalharemos duro todos os dias para garantir que você permaneça orgulhoso desta decisão – disse Josh Wander.

A votação começou às 10h deste domingo de forma híbrida. Foi possível votar on-line ou presencialmente, na Sede do Calabouço, no Centro do Rio de Janeiro. Só nos primeiros 30 minutos, o Vasco já havia registrado mais de mil votos, a maioria de forma remota.

Quando foi se aproximando o fim da votação, muitos torcedores começaram a chegar até a porta da do Calabouço e comemoraram bastante o resultado dentro da sede. Assim que saiu o resultado, cantaram o hino do clube e depois emendaram diversas outras canções.

E agora?

Com a venda, a 777 Partners, que tem como acionistas majoritários os americanos Josh Wander e Steven Pasko, assume o controle do futebol masculino, feminino e das categorias de base a partir desta segunda-feira. O grupo se compromete a investir R$ 700 milhões por 70% da SAF – 30% permanecem com o Vasco – e a assumir a dívida de R$ 700 milhões do clube.

Trabalho agora é jurídico, burocrático, a constituição de uma empresa. Tem de transferir os ativos do Vasco….Posteriormente vem a injeção de dinheiro, da 777. Processo que deve demorar umas duas semanas. Não quero dar prazo, não depende só de nós. Quero crer que façamos com rapidez – disse Roberto Duque Estrada, segundo vice geral.

Por contrato, R$ 700 milhões devem ser investidos no futebol nos próximos três anos. Desse total, R$ 70 milhões foram antecipados como empréstimo-ponte, aprovado pelo Conselho Deliberativo em março. Essa parte do dinheiro já foi usada pelo clube.

No entanto, a 777 ainda tem que injetar R$ 120 milhões em 2022. Esse valor será usado em contratações – ainda nessa janela ou em dezembro -, para pagar folhas salariais e na ampliação e modernização do CT Moacyr Barbosa e do CT da Base Forte.

O restante do dinheiro será investido até 2026. A partir de 2027, o investimento dependerá do desempenho esportivo. Se o Vasco conquistar títulos importantes e atingir metas, a 777 terá de fazer um investimento mínimo fixo, corrigido pelo IPCA. Caso não tenha desempenho satisfatório em campo, a empresa terá de manter o clube entre os cinco maiores orçamentos do futebol brasileiro.

Foto: Marcelo Baltar/ge
Fonte ge