Guta Stresser fala sobre seu diagnóstico de esclerose múltipla

Guta Stresser fala sobre seu diagnóstico de esclerose múltipla

20 de junho de 2022 0 Por admin

Conhecida por interpretar a Bebel, em “A Grande Família”, a atriz Guta Stresser, de 49 anos, diz que receber o diagnóstico da esclerose múltipla a fez “perder o chão”. “Nem sabia direito o que era aquilo, só que afetava o cérebro, e só isso me soou aterrorizante”, disse em entrevista à revista.

Segundo ela, a doença começou com episódios de lapsos de memória em 2020 quando participava da Dança dos Famosos, no programa do Faustão. “Parecia tudo normal até que, durante os ensaios, eu passava a coreografia e, quando terminava, não lembrava mais nada, nada mesmo”.

O quadro foi se agravando até ela começar a esquecer palavras, como copo e cadeira. “Se ficava duas horas parada assistindo a um filme na TV, logo sentia dores musculares. Tinha formigamentos frequentes nos pés e nas mãos, enxaquecas fortíssimas e variações de humor”, lembra.

O pior, segundo ela, era um zumbido constante no ouvido. “Parecia que havia ali um fio desencapado, provocando um curto-circuito na minha cabeça.”

O sina de alerta veio quando ela levou um tombo na sala de casa. Resolvi procurar um otorrinolaringologista, achando que o problema poderia se resumir a uma questão de equilíbrio. Em princípio, ele disse que estava tudo certo, mas insisti para realizar uma ressonância magnética. Feito o exame, recebi enfim o diagnóstico: esclerose múltipla”, conta.

Guta consegue controlar as crises com um remédio caro, que é oferecido pelo SUS. Ela também mantém uma rotina saudável, com exercícios físicos e para o cérebro, como palavras cruzadas. Recentemente, também incluiu no tratamento o óleo de canabidiol (CBD), uma substância obtida a partir da planta Cannabis sativa, conhecida como maconha.

O que é esclerose múltipla

A esclerose múltipla é uma doença potencialmente incapacitante do cérebro, em que o sistema imunológico ataca a bainha protetora (mielina) que cobre os neurônios e causa problemas de comunicação entre o cérebro e o resto do corpo. Eventualmente, a doença pode causar danos permanentes ou deterioração dos nervos.

Os sinais e sintomas da esclerose múltipla variam amplamente e dependem da quantidade de danos nos nervos e de quais nervos são afetados.

A dormência ou fraqueza em um ou mais membros são alguns dos sinais. Tremor, falta de coordenação ou marcha instável também podem aparecer.

Não há cura para a esclerose múltipla. No entanto, os tratamentos podem ajudar a acelerar a recuperação de ataques, modificar o curso da doença e controlar os sintomas.

Fonte Catraca Livre