José Aldo está perto da aposentadoria no UFC

José Aldo está perto da aposentadoria no UFC

18 de julho de 2022 0 Por admin

Quem olha para a carreira de José Aldo dificilmente acredita que ele tem apenas 34 anos de idade. Um dos maiores lutadores de todos os tempos, tido por muitos como o maior peso-pena da história do MMA, o amazonense teria ainda muita lenha para queimar como profissional. Mas o que para muitos ainda estaria distante, para ele está mais próximo do que se pode imaginar: a aposentadoria. Em entrevista ao Canal Combate, Aldo revelou que pretende cumprir a previsão que fez anos atrás ao seu técnico, Dedé Pederneiras, de que pararia de lutar aos 35 anos de idade e tendo conquistado dois cinturões do UFC. A provavelmente duas lutas de disputar novamente o titulo peso-galo, o lutador diz que tudo se encaminha para que ele cumpra o que proferiu anos atrás.

Lá no começo eu disse ao Dedé que aos 35 anos seria campeão e iria me aposentar. Por isso eu digo que está bem próxima a minha aposentadoria, mas eu dizia que sairia como campeão. Então, pode colocar o Merab (Dvalishvili), que é um cara duro, bem ranqueado e que ninguém quer lutar, que eu vou vencê-lo, e depois eu vou conquistar o título, porque já estava escrito. Só que eu e o Dedé tínhamos o sonho de eu ser campeão duplo no peso-pena e no peso-leve. Mas foi totalmente diferente. A gente caiu pro peso-galo e estamos prestes a disputar o título nessa categoria. Eu comecei lutando nos 60kg, e achei que nunca iria voltar a bater esse peso. Agora eu vou terminar nos 60kg, que foi onde eu comecei a minha carreira.

Para Aldo, a proximidade do dia em que vai pendurar as luvas faz com que ele se dedique ao máximo aos treinos e busque se preparar em modalidades que antes não fazia, como o boxe. Atualmente treinando com a seleção brasileira da modalidade na Marinha, o ex-campeão peso-pena diz que a dedicação máxima se dá pelo objetivo de ser campeão mais uma vez antes de parar de lutar.

Eu estou dando o máximo, procurei fazer coisas novas e alguns ajustes, como o boxe na Marinha. Quando eu perdi o título, mesmo com pandemia e com o treinamento curto, fui treinar com os melhores atletas de boxe do Brasil, e eles estão me ajudando e vendo um novo José Aldo. Mas posso dizer que estou bem próximo da aposentadoria. Estou dando tudo de mim, me esforçando em cada treinamento, e estamos em uma crescente muito grande. Eu sei que logo estaremos do outro lado, deixando o lugar para os mais novos.

Treinos para Merab Dvalishvili no UFC 278

O camp está ótimo. Fizemos alguns poucos ajustes que o Dedé achava que tinham que ser feitos. Estamos treinando principalmente a parte física, porque acreditamos que a luta será muito agarrada. Eu sempre falo que a melhor defesa sempre leva vantagem sobre o ataque. E esse é o meu ponto mais forte sobre o ponto forte dele. eu vejo essa luta sendo bem tranquila, porque o que ele vai propor a mim eu já estou acostumado a fazer há anos, e até de olhos fechados eu consigo desenvolver.

Quando a luta começa, todo mundo vem com uma estratégia, mas depois que passam dois minutos, você fica no seu natural, com o que você está acostumado. Não tem como você inventar alguma coisa. Vamos fazer aquilo para o que estamos programados. Quando eu começar a apertar, eu sei que ele vai procurar fazer o que ele saber fazer melhor, e é aí que eu vou me sair melhor ainda.

Agora a categoria deu uma mexida, e nós estamos chegando bem próximo do topo. Eu me via disputando o título, porque venho de três boas vitórias, e os fãs pediram para que eu fizesse essa disputa. Mas o UFC achou melhor colocar o TJ Dillashaw. Não tem problema nenhum. Eu venço o Merab agora e depois vou ser o campeão, sem dúvida. Isso é algo que eu conquistei. Voltei para a academia, vim passo a passo, vencendo luta após luta e crescendo a cada evento. Estamos indo para a quarta vitória agora, e não tem outro melhor ranqueado que eu para disputar o título.

Surpresa com Sterling campeão?

Não me surpreendeu. O Aljamain procurou uma luta mais agarrada contra o Petr Yan. Ele se preparou, teve tempo. Na primeira luta ele já vinha vencendo, mas caindo no fim dos rounds, e poderia ter dado Petr naquela luta. Mas na segunda eu sabia que ele faria uma luta mais estratégica, pisando mais em ovos. Eu sabia que ele venceria a luta. E o UFC também esperava por isso. Nas conversas de bastidores, tanto o Dillashaw como eu e o Aljamain teríamos grandes chances de vencer o Petr Yan.

Sterling x Dillashaw

Vejo um favoritismo muito grande para o Aljamain. O TJ está há muito tempo sem lutar, e sem substância nenhuma é um cara inofensivo. Ele tem uma boa movimentação, mas o joelho está todo arregaçado. Não é a mesma coisa que o TJ do passado. Respeito ele como o grande campeão que foi, mas hoje o Aljamain está no melhor momento da vida dele, está forte e é muito favorito para a vitória.

Luta contra o campeão

Eu não sabia se iria lutar com ele depois de ele conquistar o título, mas eu sabia que ele iria vencer a segunda luta contra o Petr Yan e que depois nós lutaríamos. Isso vai acontecer, e é também uma luta em que o melhor dele é o meu melhor. Lutei por anos e estou acostumado com o estilo dele. E é por isso que eu falo que eu serei o campeão. Já tenho tudo o que vai acontecer em mente e sei que vou vencer.

UFC 278
20 de agosto, em Salt Lake City (EUA)
CARD DO EVENTO (até o momento):
Peso-meio-médio: Kamaru Usman x Leon Edwards
Peso-galo: José Aldo x Merab Dvalishvili
Peso-médio: Paulo Borrachinha x Luke Rockhold
Peso-mosca: Amir Albazi x Francisco Figueiredo
Peso-pesado: Marcin Tybura x Alexandr Romanov
Peso-leve: Léo Santos x Jared Gordon
Peso-galo: Wu Yanan x Lucie Pudilova
Peso-meio-pesado: Tyson Pedro x Harry Hunsucker
Peso-mosca: Victor Altamirano x Daniel Miojo
Peso-galo: Aori Qileng x Jay Perrin
Peso-meio-médio: AJ Fletcher x Ange Loosa
Peso-pena: Sean Woodson x Luis Saldaña
Peso-mosca: Miranda Maverick x Shana Young

Fonte Canal Combate